4 de jun de 2013

05 de junho - Dia do Meio Ambiente e Ecologia

O Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado no dia 5 de Junho, data de início da primeira conferência das Nações Unidas, dedicada exclusivamente ao ambiente, que teve lugar em Estocolmo, Suécia, em Junho de 1972.

O Brasil é um dos poucos países que tem identificação para ser um amparo ao planeta, considerado assim uma superpotência ambiental. Cabe a cada um de nós fazer sua parte e contribuir para a preservação da vida na Terra, hoje e também no futuro, utilizando o bom senso principalmente na hora de consumir o que mais precisamos: os recursos naturais.

Nossa espécie tem usado mais a capacidade de modificar o meio ambiente para piorar as coisas que para melhorar.
Agora precisamos fazer o contrário, para nossa própria sobrevivência.
Reveja seu dia-a-dia e tome as atitudes ecológicas que julgar mais corretas e adequadas. Não espere que alguém venha fazer isso por você. Faça você mesmo.
1- – Estabeleça princípios ambientalistas
Estabeleça compromissos, padrões ambientais que incluam metas possíveis de serem alcançadas.
2 – Faça uma investigação de recursos e processos
Verifique os recursos utilizados e o resíduo gerado. Confira se há desperdício de matéria-prima e até mesmo de esforço humano. A meta será encontrar meios para reduzir o uso de recursos e o desperdício.
3 – Estabeleça uma política ecológica de compras
Priorize a compra de produtos ambientalmente corretos.
Existem certos produtos que não se degradam na natureza. Procure certificar-se, ao comprar estes produtos, de que são biodegradáveis. Procure por produtos que sejam mais duráveis, de melhor qualidade, recicláveis ou que possam ser reutilizáveis. Evite produtos descartáveis não reciclados como canetas, utensílios para consumo de alimentos, copos de papel, etc.
4 – Incentive seus colegas
Fale com todos a sua volta sobre a importância de agirem de forma ambientalmente correta. Sugira e participe de programas de incentivo como a nomeação periódica de um ‘campeão ambiental’ para aqueles que se destacam na busca de formas alternativas de combate ao desperdício e práticas poluentes.
5 – Não Desperdice
Ajude a implantar e participe da coleta seletiva de lixo. Você estará contribuindo para poupar os recursos naturais, aumentar a vida útil dos depósitos de lixo, diminuir a poluição. Investigue desperdício com energia e água. Localize e repare os vazamentos de torneiras. Desligue lâmpadas e equipamentos quando não estiver utilizando. Mantenha os filtros do sistema de ar-condicionado e ventilação sempre limpos para evitar desperdício de energia elétrica.
Use os dois lados do papel, prefira o e-mail ao invés de imprimir cópias e guarde seus documentos em disquetes, substituindo o uso do papel ao máximo. Promova o uso de transporte alternativo ou solidário, como planejar um rodízio de automóveis para que as pessoas viajem juntas ou para que usem bicicletas, transporte público ou mesmo caminhem para o trabalho. Considere o trabalho à distância, quando apropriado, permitindo que funcionários trabalhem em suas casas pelo menos um dia na semana utilizando correio eletrônico, linhas extras de telefone e outras tecnologias de baixo custo para permitir que os funcionários se comuniquem de suas residências com o trabalho.
6 – Evite Poluir Seu Meio Ambiente
Faça uma avaliação criteriosa e identifique as possibilidades de diminuir o uso de produtos tóxicos. Converse com fornecedores sobre alternativas para a substituição de solventes, tintas e outros produtos tóxicos. Faça um plano de descarte, incluindo até o que não aparenta ser prejudicial como pilhas e baterias, cartuchos de tintas de impressoras, etc. Faça a regulagem do motor dos veículos regularmente e mantenha a pressão dos pneus nos níveis recomendáveis. Assegure-se que o óleo dos veículos está sendo descartado da maneira correta pelos mecânicos.
7 – Evite riscos
Verifique cuidadosamente todas as possibilidades de riscos de acidentes ambientais e tome a iniciativa ou participe do esforço para minimizar seus efeitos. Não espere acontecer um problema para só aí se preparar para resolver. Participe de treinamentos e da preparação para emergências.
8 – Anote seus resultados
Registre cuidadosamente suas metas ambientais e os resultados alcançados. Isso ajuda não só que você se mantenha estimulado como permite avaliar as vantagens das medidas ambientais adotadas.
9 – Comunique-se
No caso de problemas que possam prejudicar seu vizinho ou outras pessoas, tome a iniciativa de informar em tempo hábil para que possam minimizar prejuízos. Busque manter uma atitude de diálogo com o outro.
10 – Arranje tempo para o trabalho voluntário
Não adianta você ficar só estudando e conhecendo mais sobre a natureza. É preciso combinar estudo e reflexão com ação. Considere a possibilidade de dedicar uma parte do seu tempo, habilidade e talento para o trabalho voluntário ambiental a fim de fazer a diferença dando uma contribuição concreta e efetiva para a melhoria da vida do planeta. Você pode, por exemplo, cuidar de uma árvore, organizar e participar de mutirões ecológicos de limpeza e recuperação de ecossistemas e áreas de preservação degradados, resgatar e recuperar animais atingidos por acidentes ecológicos ou mesmo abandonados na rua, redigir um projeto que permita obter recursos para a manutenção de um parque ou mesmo para viabilizar uma solução para problema ambiental, fazer palestras em escolas, etc.


Leia a Matéria completa em : http://www.portalangels.com 

29 de mai de 2013

29 de maio dia do Geógrafo


 


  
Os geógrafos são profissionais que  estudam a Terra. Mas como é isto?
Eles sabem tudo sobre o revelo, o clima, a vegetação e os rios que constituem o nosso planeta.

Mas não é só isso! Também estudam economia, a distribuição geográfica populacional, as divisões políticas entre os países, as diferenças culturais e muito mais.

Pesquisam como as comunidades e habitantes se relacionam com o meio
em que vivem!

Os geógrafos exercem um papel muito importante atualmente, cuidando do nosso
planeta e auxiliando no planejamento urbano, no manejo de recursos naturais, no planejamento da construção de hidrelétricas e pólos industriais, que são fundamentais para a sociedade, mas que exigem responsabilidade para que o impacto ambiental seja o menor possível!

Algumas das atividades exercidas pelos geógrafos:

- Ensino: leciona no ensino fundamental, médio e superior.

- Planejamento urbano: planeja o crescimento e desenvolvimento de uma determinada região ou município.

- Geografia física: estuda os aspectos físicos da Terra, como clima, solo e vegetação.

- Geografia humana: interpreta os dados sociais e econômicos de uma população. Planeja a ocupação de áreas urbanas e rurais.

- Geopolítica: analisa a relação entre espaço geográfico e a organização econômica, política e social de uma região, país ou bloco de países.

- Meio ambiente: estuda os ecossistemas e previne impactos ambientais causados pela ocupação de terrenos. Faz o manejo de bacias hidrográficas.

- Planejamento territorial e urbano: organização dos espaços urbanos ou rurais para a instalação de pólos industriais, barragens e outras grandes obras.
 

21 de mai de 2013

EXPERIMENTOS PARA AULAS DE CIÊNCIAS - SÉRIES INICIAIS

As aulas de ciências ficam mais atraentes quando você utiliza estratégias que possam cativar a atenção do aluno.
Esses experimentos são fáceis e podem ser utilizados em turmas de 1º ao 5º ano.

Experimento 1
Abane o seu rosto com uma folha de papelão. Você sente algo, mas não pode vê-lo.
O papelão não toca em você e não há nada a mais no momento em que você abana que não
estivesse presente antes ou não esteja presente depois do movimento. Assim, o que você
sentiu deve ser o ar.
Se você usar uma folha de papel de caderno, em lugar de papelão, observará certa
dificuldade para se abanar, pois o papel irá dobrar (a menos que você se abane bem
vagarosamente!). Isso mostra que o ar exerce certa resistência ao movimento de objetos
mergulhados nele.

Experimento 2
Encha um balão de ar. O ar preenche o espaço dentro do balão.



Experimento 3
Encha um béquer, até um pouco acima da metade, com água. Coloque um pouco decorante na água. Coloque um tubo de ensaio com a abertura para baixo.

A água não entra no tubo de ensaio porque o ar ocupa aquele espaço. Incline o tubode modo que um pouco de ar saia. A água agora pode entrar, ocupando o espaço deixadopelo ar que saiu.

Experimento 4

PAPEL MÁGICO

Material necessário
Um copo de vidro
300 ml de água
Um pedaço de papel (deve ser maior que a boca do copo)
Um pano (caso seja necessário)
Uma bacia pequena
Procedimento
Encher um copo de água
Cortar um pedaço de papel
Colocar o papel sobre o copo
Virar o copo cheio de água, segurando o papel com a mão.
Após o copo estar completamente com a boca para baixo, soltar o papel.
Conclusão
O papel não cai, segurando toda a água do copo, porque a pressão atmosférica aplica uma força de baixo para cima.
Experimento 5 
VULCÃO 1

Material necessário
3 quilos de argila
Um copo de plástico
Bicarbonato de sódio
500 ml de água
750 ml de vinagre vermelho

Procedimento

Faça o vulcão com a argila, depois faça um furo no meio do vulcão, coloque o copo no meio do furo, no copo coloque o bicarbonato de sódio, em seguida coloque o vinagre e depois ao mesmo tempo. 
Conclusão
A água se mistura com o vinagre e o bicarbonato faz o gás que levanta a mistura de água e vinagre fazendo com que pareça lava do vulcão.



VULCÃO 2

Material necessário
3 quilos de argila
Um copo de plástico
Carbureto(
500 ml de água
750 ml de água com corante vermelho
fósforo

Procedimento

Faça o vulcão com a argila, depois faça um furo no meio do vulcão, coloque o copo no meio do furo, no copo coloque o carbureto, em seguida coloque o água e acenda o fosforo depois. Cuidado!
Coloque os alunos a uma distância para que não se machuquem pois o carbureto é inflamável! 
Conclusão
A água se mistura com o carbureto faz o gás que levanta a mistura de água e carbureto e com a pequena explosão fazendo com que pareça lava do vulcão de verdade.

19 de abr de 2013

19 de Abril - Dia do Índio e Dia do Exército Brasileiro

 
Eles fazem parte de nossa história e têm muito a nos ensinar.
Mas, justamente por serem importantes, foi reservada uma data no calendário anual para comemorar o Dia do Índio, que é 19 de abril.
 

No ano de 1940, foi realizado o I Congresso Indígena da América Latina, no México, com objetivo de divulgar a cultura indígena em toda a América e também para que os governos criassem normas em relação à qualidade de vida dos povos indígenas, que ainda sofriam com a discriminação do homem branco.

Para os leitores que buscam mais informação a respeito da criação da data e cultura indígena, recomendo acessar: http://www.acemprol.com/historia-do-dia-do-indio-comemoracao-19-de-abril-criacao-t257.html

 
 
 
 
 
fonte/ imagem:http://guiaavare.com/
 
O exercito brasileiro foi criado em 19 de abril de 1648, esse foi o dia também da primeira batalha do exercito, que aconteceu na cidade de Guararapes, no estado do Pernambuco com a conseqüência dessa batalha esse dia se tornou o dia do exercito.
Atualmente o dia do exercito serve para comemorar também o combate e a dominação neerlandesa, logo após o primeiro dia de batalha do exercito. O exercito brasileiro é um dos três braços das forças armadas brasileiras, junto com marinha e aeronáutica.

Fonte:
Índio. Disponível em: http://www.smartkids.com.br
Dia do Exército Brasileiro. Disponível em http://guiaavare.com/
 



 

18 de abr de 2013

Para incluir ciências, Prova Brasil será aplicada em dois dias, diz Inep


 
Diferentemente dos anos anteriores, a edição de 2013 da Prova Brasil será aplicada em dois dias, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O motivo é a inclusão de questões de ciências na prova, confirmada pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, na semana passada. Antes a prova acontecia em um dia e tinha apenas questões de língua portuguesa e matemática.

A assessoria de imprensa do Inep afirmou que ainda não há uma previsão de quanto a aplicação da nova prova vai custar, mas disse que a Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb) pretende finalizar o "desenvolvimento do instrumento para a avaliação" até dia 10 de maio.

A estimativa da autarquia do MEC é que a prova da matéria tenha a mesma duração dos exames de português e matemática: duas horas. "Não poderá ser superior a este tempo", afirmou a assessoria de imprensa, em comunicado.

Outra proposição da Daeb é que a aplicação da prova com conteúdos de ciências seja censitária, e não amostral. Isso quer dizer que o mesmo público das demais provas devem fazer a de ciências.

Porém, Mercadante já afirmou que apenas os alunos do 9º ano do ensino fundamental e do 3º do ensino médio farão a prova de ciências. Os estudantes matriculados no 5º ano do ensino fundamental, portanto, só terão que responder a questões de língua portuguesa e matemática.

Ideb sem ciências
As questões da matéria não serão incluídas no cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2013. De acordo com o Inep, a introdução de ciências na Prova Brasil é uma "estratégia de calibração da matriz para poder avançar nos cálculos do Ideb para 2015".

A Prova Brasil faz parte do Sistema de Avaliação do Ensino Básico (Saeb) e é aplicada a cada dois anos para crianças do 5º e 9º ano do fundamental e do 3º ano do ensino médio de redes públicas. Seu resultado é um dos valores usados para compor o Ideb. Até 2011, a prova avaliava o desempenho de estudantes em língua portuguesa e matemática. Com a inclusão de ciências, o sistema de avaliação se aproxima de avaliações internacionais como o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês).

Segundo o Inep, em 2011 participaram da Prova Brasil 55.924 escolas públicas. Outras 3.392 escolas públicas e particulares participaram da parte amostral do Saeb, que é definida em sorteio.

Ana Carolina Moreno

Do G1, em São Paulo
 
 

Planetas lembram a Terra em tamanho, composição e radiação recebida



Do G1, em São Paulo


Ilustração do sistema solar Kepler-62 (Ilustração: AP Photo/Harvard Smithsonian Center for Astrophysics)

Uma equipe internacional de cientistas divulgou, nesta quinta-feira (18), a descoberta de um sistema solar com cinco planetas, sendo que dois deles são, segundo os pesquisadores, “os objetos mais semelhantes à Terra já encontrados”.
Os planetas considerados semelhantes à Terra são os dois últimos. Eles são um pouco maiores que a Terra – o raio de Kepler 62-e equivale a 1,41 raio da Terra, e o de Kepler 62-f a 1,61 raio da Terra – e ambos recebem uma quantidade de radiação também parecida com a que o nosso planeta recebe do Sol – dentro da chamada “zona habitável”, onde teoricamente é possível haver água líquida.
Pelo tamanho dos planetas, os cientistas acreditam que a composição desses planetas seja rochosa, ou seja, também semelhante à da Terra. Outra hipótese considerada é a de que eles sejam cobertos de gelo.
“Pelo que podemos ver, pelo raio e pelo período orbital, esses são os objetos mais semelhantes à Terra que já encontramos”, afirmou Justin Crepp, astrofísico da Universidade Notre Dame, nos EUA, um dos autores do estudo. O artigo com os resultados da pesquisa foi publicado pela revista “Science”.

fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/

Dia 18 de abril - Dia Nacional do Livro Infantil

A data foi criada em 2002 em homenagem a Monteiro Lobato que foi um dos principais autores da Literatura Infanto-Juvenil Brasileira
 
Mais da metade dos livros de Monteiro Lobato tinham como alvo o público infanto-juvenil, com a intenção de ajudar na formação intelectual e moral da juventude brasileira. Entre os mais populares estão: "A Menina do Nariz Arrebitado"; "O Saci"; "Fábulas do Marquês de Rabicó"; "Aventuras do Príncipe"; "Noivado de Narizinho"; "O Pó de Pirlimpimpim"; "Reinações de Narizinho"; "As Caçadas de Pedrinho"; "Emília no País da Gramática"; "Memórias da Emília"; "O Poço do Visconde" e "O Picapau Amarelo", que foi transformado em obra televisiva nos anos 80 e sendo regravado no final dos anos 90.
Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos de idade, e no ano de 2002 foi criada uma Lei (10.402/02) que registrou o seu nascimento como data oficial da literatura infanto-juvenil.
 
 
 

17 de abr de 2013

17 de abril: Dia Nacional da Botânica (Decreto no. 1.147 de 24/05/1994)

 
“Botânica”, deriva do grego botane, que significa “planta”, é a área da Biologia que estuda os vegetais em sua anatomia, fisiologia, taxonomia e ecologia.

 
Karl Friedrich Philipp von Martius
 
O dia é dedicado ao botânico alemão Cari Friedrich Phillipp von Martius, consagrado o "Pai das Palmeiras" no Brasil. Um dos naturalistas mais famosos do século XIX, von Martius nasceu no dia 17 de abril de 1794 e chegou ao Brasil no dia 15 de julho de 1817, como parte de uma comitiva de intelectuais que acompanhava dona Leopoldina, esposa de dom Pedro I. Em três anos de estudos, ele explorou 12 mil espécies da flora brasileira. Até a data de sua morte, foram catalogadas 300 mil espécies do mundo inteiro, sendo a metade existente na bacia Amazônica. Phillipp von Martius morreu em 1868. O decreto que instituiu uma homenagem a ele também declarou a carnaúba, considerada a palmeira brasileira, como planta-símbolo do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro.

16 de abr de 2013

16 de abril - Dia Mundial da Voz

 
Hoje 16 de abril comemorou-se o Dia Mundial da Voz, mas é importante que todos os dias estarmos em alerta com o cuidado para preservar a nossa voz e detectar precocimente eventuais problemas através de diagnósticos precoces, especialmente nós professores que a usamos como ferramenta de trabalho.

Cuidados a ter com a voz

  • Fazer uma alimentação equilibrada, rica em fibras e proteínas
  • Beber bastante água e praticar exercício físico
  • Não gritar em excesso nem em tom agudo e falar pausadamente
  • Não fumar nem abusar de bebidas gasosas
  • Dormir bem

Sinais de alerta a ter em conta

  • Alterações na voz
  • Tosse frequente
  • Alterações no timbre da voz ou dificuldade em colocar a voz
  • Pigarreia ou rouquidão com frequência
Esteja atento à sua voz e identifique possíveis sinais de alarme. Alterações na voz podem ser sinal de doenças como papiloma, cancro da laringe, paralisia das cordas vocais, laringite crónica, entre outras.

Quando o que cura passa a matar

Ciência Hoje On-line
 

Por: Pedro Elias Marques, André Gustavo Oliveira e Gustavo Batista Menezes

O uso abusivo e indiscriminado de remédios pela população é um problema mundial, que responde por várias internações e mortes. As mesmas substâncias que deveriam tratar ou trazer alívio, quando usadas em excesso, podem intoxicar o corpo e levar à falência de órgãos vitais, como o fígado.
Quando o que cura passa a matar
Substâncias que deveriam tratar ou trazer alívio, quando ingeridas em excesso, podem causar graves danos ao fígado, órgão onde elas são processadas. (foto: Alaa Hamed/ Sxc.hu)
 
O ser humano tem sido desafiado pelas doenças desde o início de sua história, e elas provavelmente o forçaram a buscar alternativas para se manter vivo e saudável. Ainda não se sabe se os humanos primitivos buscaram os ‘medicamentos’ na natureza conscientemente ou se estes foram apresentados de forma aleatória a eles nas refeições que obtinham de plantas e ervas, por exemplo. Nossa capacidade de perceber, entender e memorizar os primeiros princípios ativos obtidos de recursos naturais foi crucial para o desenvolvimento da farmacologia e da terapêutica modernas.

Os relatos escritos mais antigos dessas práticas médicas têm mais de 3,5 mil anos e estão em documentos do antigo Egito conhecidos como papiros médicos, entre os quais se destacam o papiro de Smith e o papiro Ebers, preservados em museus europeus. Considerados os primeiros tratados médicos, esses papiros serviram de guia para as prescrições por muito tempo.

O número de viciados em medicamentos é maior que o de usuários de cocaína, heroína e ecstasy somados.

Hoje, o panorama é bem diferente: somos constantemente bombardeados por alternativas de medicamentos para tratar quase todos os problemas que possamos ter. Embora em todo o mundo sejam adotadas medidas importantes visando restringir o acesso e conscientizar a população para os riscos, os medicamentos mais ‘simples’ podem ser adquiridos com extrema facilidade, muitas vezes sem receita médica ou até pela internet.

Esses medicamentos de fácil acesso são utilizados para tratar dores de cabeça, resfriados, cólicas, dores musculares e problemas de saúde de menor gravidade. Mas são justamente esses fármacos os protagonistas de um quadro grave: o da automedicação e intoxicação medicamentosa.

O uso abusivo e não supervisionado de medicamentos é responsável por várias internações e mortes por ano em todo o mundo. Em 2010, a Junta Internacional de Fiscalização a Entorpecentes (Jife), órgão da Organização das Nações Unidas (ONU), declarou que o uso abusivo de remédios é um problema mundial, e que o número de viciados em medicamentos é maior que o de usuários de cocaína, heroína e ecstasy somados.

Papiro de Smith
O papiro de Smith, encontrado no Egito, tem cerca de 3,5 mil anos e é um dos mais antigos documentos sobre procedimentos cirúrgicos e medicamentos conhecidos. (foto: Wikimedia Commons)

Os dados são ainda mais preocupantes: o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), agência federal dos Estados Unidos, revelou que triplicou naquele país, de 1990 a 2008, o número de mortes por overdose de analgésicos. No Brasil, para que se tenha uma ideia do volume de remédios consumidos pela população, mais de 92 milhões de comprimidos de aspirina (marca comercial mais famosa do analgésico ácido-acetilsalicílico) foram consumidos em 2009. No mundo, são vendidas cerca de 216 milhões de unidades por dia.

Vale lembrar que esses números dizem respeito a apenas um tipo de analgésico, e de uma só marca, mas permitem ter uma noção da quantidade absurda que seria atingida somando-se todos os remédios consumidos rotineiramente, como os que controlam a pressão arterial, os antibióticos, os redutores de colesterol e vários outros.

Prejuízos ao fígado


Quem ‘paga a conta’ nessa história é o fígado. Tudo porque grande parte do que é absorvido pelo sistema gastrointestinal humano – aquilo que comemos e bebemos – é drenado diretamente para o fígado pela veia porta, antes mesmo de atingir a circulação geral. Uma vez no fígado, o sangue é dirigido para os lóbulos hepáticos, pequenos grupos de células existentes no órgão, fluindo por capilares especializados. Esses minúsculos vasos sanguíneos facilitam o contato entre a corrente sanguínea e os hepatócitos, células com múltiplas funções que compõem em torno de 70% a 80% do tecido hepático.

É justamente esse contato íntimo entre o sangue e os hepatócitos que permite ao fígado desempenhar a que é considerada sua principal função: a biotransformação de toxinas e drogas, para ‘limpar’ o organismo. As células do tecido hepático contêm enorme variedade de enzimas que transformam essas substâncias nocivas em moléculas mais solúveis em água, para facilitar sua inativação e excreção.

A incidência de doenças hepáticas causadas por drogas ou toxinas tem aumentado bastante em vários países, inclusive no Brasil

As funções do fígado, porém, vão muito além da desintoxicação dQo corpo. Esse órgão pode desempenhar até centenas de funções diferentes, e a maioria cabe aos hepatócitos. Entre essas funções estão a remoção dos glóbulos vermelhos envelhecidos da circulação (hemocaterese), o metabolismo de lipídios, carboidratos e proteínas, o armazenamento de vitaminas e alguns sais minerais e a síntese de fatores de crescimento (substâncias que estimulam a proliferação e a diferenciação das células) e proteínas do plasma sanguíneo (essenciais em muitos processos orgânicos).

Você leu apenas o início do artigo publicado na CH 302.

Pedro Elias Marques
André Gustavo Oliveira
Gustavo Batista Menezes
Laboratório de Imunobiofotônica,
Departamento de Morfologia,
Universidade Federal de Minas Gerais

Referência
Quando a cura passa a matar. Disponível em  http://cienciahoje.uol.com.br/revista-ch/2013/302


21 de mar de 2013

21 de Março - Dia Internacional da Síndrome de Down

Síndrome de Down na atualidade

Assistimos uma grande evolução do que existe em relação a Síndrome de Down não só no nosso país, mas em todo o mundo. Evoluções na área médica que têm como conseqüência o aumento da expectativa e da qualidade de vida, evoluções na área de estimulação precoce que prepara as crianças para um futuro que ainda não podemos prever, pois há toda uma geração de crianças com Síndrome de Down que vai crescer, tendo recebido numa infância precoce tratamentos inovadores. Temos ainda evoluções na área educacional e também na social. Todo este conjuto vem contribuindo de maneira significativa para o desenvolvimento destes indivíduos que no Brasil, de acordo com as estimativas do IBGE realizadas no censo 2000, são em média 300 mil.

Dentro da psicologia acredito que o advento da ciência cognitiva e da neurociência vem contribuindo para o desenvolvimento de teorias que ajudam os psicólogos a pensar as particularidades e especificidades da cognição da pessoa com Síndrome de Down que até poucos anos atrás era considerado um indivíduo apenas “treinável”. Sabemos atualmente que isso era um mito e que o campo se configurava desta maneira muito em função da falta de pesquisas que pudessem contribuir para este entendimento, e também a segregação social sofrida pelas pessoas com a síndrome, que inibia o desenvolvimento das suas habilidades cognitivas, emocionais e sociais.

Na área de terapia de família os estudos também avançaram e a teorias que emergiram a partir da terapias das relações pais-bebê também estão nos dando novas possibilidades de atuar. O estudos das “competências dos bebês” humanos desde muito cedo vem trazendo novos horizontes para a área e mostrando a importância deste tipo de intervenção em famílias de crianças com riscos de atraso no desenvolvimento, que inclui a Síndrome de Down.

                                                               fonte: http://www.youtube.com

O que é Síndrome de Down?

A síndrome de Down (SD) é uma alteração genética produzida pela presença de um cromossomo a mais, o par 21, por isso também conhecida como trissomia 21.
A SD foi descrita em 1866 por John Langdon Down. Esta alteração genética afeta o desenvolvimento do individuo, determinando algumas características físicas e cognitivas. A maioria das pessoas com SD apresenta a denominada trissomia 21 simples, isto significa que um cromossomo extra está presente em todas as células do organismo, devido a um erro na separação dos cromossomos 21 em uma das células dos pais. Este fenômeno é conhecido como disfunção cromossômica. Existem outras formas de SD como, por exemplo: mosaico, quando a trissomia está presente somente em algumas células, e por translocação, quando o cromossomo 21 está unido a outro cromossomo.
 
                                      fonte: https://www.youtube.com
 
O diagnóstico da SD se realiza mediante o estudo cromossômico (cariótipo), através do qual se detecta a presença de um cromossomo 21 a mais. Este tipo de análise foi utilizado pela primeira vez em 1958 por Jerome Lejeune.
Não se conhece com precisão os mecanismos da disfunção que causa a SD, mas está demonstrado cientificamente que acontece igualmente em qualquer raça, sem nenhuma relação com o nível cultural, social, ambiental, econômico, etc. Há uma maior probabilidade da presença de SD em relação à idade materna, e isto é mais freqüente a partir dos 35 anos, quando os riscos de se gestar um bebê com SD aumenta de forma progressiva. Paradoxalmente, o nascimento de crianças com SD é mais freqüente entre mulheres com menos de 35 anos, isto se deve ao fato de que mulheres mais jovens geram mais filhos e também pela influência do diagnóstico pré natal,que é oferecido sistematicamente às mulheres com mais de 35 anos.
Como a SD é uma alteração cromossômica, é possível realizar um diagnóstico pré natal utilizando diversos exames clínicos como, por exemplo, a amniocentese (pulsão transabdominal do liquido amniótico entre as semanas 14 e 18 de gestação) ou a biópsia do vilo corial (coleta de um fragmento da placenta). Ambos os exames diagnosticam a SD e outras cromossopatias.
 

Referências

RODRIGUES, Fernanda Travassos. Portal Síndrome de Down. Disponível em http://www.portalsindromededown.com/atualidade.php
Fundação Sídrome de Down. Disponível em  http://www.fsdown.org.br/site/pasta_83_0__artigos.html